segunda-feira, outubro 22, 2007

#76 - Desaparecido (Missing), de Costa-Gavras


Os filmes de Costa-Gavras são como uma aula de história. Uma vez que o diretor domina todas as técnicas de montagem e edição, suas obras ganham força e permanecem como verdadeiros instrumentos documentacionais. Com "Desaparecido", de 1982, vencedor da Palma de Ouro em Cannes, não é diferente.

O roteiro é baseado na história de um jornalista estadunidense que é dado como desaparecido após um golpe militar em um país da América Latina. Seu pai, conservador cristão, e sua esposa, envolvida com as questões sociais, partem em busca da verdade por trás do desaparecimento. Passando por cima de burocracias, interesses políticos e cadáveres espalhados pelas ruas, a busca vai se tornando cada vez mais complicada.

Não há referência ao local, mas é sabido que o fato aconteceu no Chile, durante o regime ditatorial de Pinochet. Talvez, a opção do diretor em não deixar nomes explícitos tenha sido pela universalidade do tema. O enredo se repetiu em quase toda a América Latina, e poderia ser a história de qualquer regime ditatorial apoiado pelos Estados Unidos. Apesar disso, o filme foi filmado no México, na encolha, porque o conteúdo dito subversivo iria desagradar os produtores hollywoodianos que apostavam e aguardavam ansiosos o primeiro filme "americano" de Costa-Gavras.

Eu ficaria ansioso. A trilha sonora do Vangelis, que assina também a de "Blade Runner", dá o tom de suspense necessário para manter o espectador grudado na tela, com tons graves e longos. Jack Lemmon ganhou a Palma de Ouro de Melhor Ator e Sissy Spacek já era, naquela época, uma excelente atriz. O resultado foi tão arrebatador que, durante muito tempo, em muitos países, "Desaparecido" foi proibido. Inclusive no Brasil, citado por ter mandado ao Chile soldados especialistas em tortura.

Os produtores de Hollywood, provavelmente muitos deles, não devem ter ficado nada contentes. Azar o deles!

4 comentários:

Kamila disse...

Dudu, não conheço o filme e, infelizmente, sei pouquíssimo sobre a obra do Costa-Gravas. Mas, seu post está excelente.

Felipe Nobrega disse...

Esse aliado ao "Z" são os clássicos do cinema político e engajado, um tipo de produção que hoje parfece não existir, ou as vezes quando tentam saem resultados tão ingenuos...
falow!

Museu do Cinema disse...

Concordo que os filmes do Costa-Gravas são sempre uma aula de história Dudu, e são sensacionais. Não vi esse!

Marcelo disse...

Seria Costa-GavRas ou Costa-GRavas? Encontramos nas capas de filmes essa diferença, em alguns filmes estão descritas de uma maneira e em outros da outra maneira. Nos comentários e reportagens na internet e jormais ambos são também utilizados. Alguem sabe se é apenas um enagno e qual seria o correto? Acredito que seja Costa-Gavras...