domingo, outubro 07, 2007

#69 - Marvada Pinga, de Alejandro Gedeón e Léa Zagury


Uma das minhas grandes paixões, além do cinema, é a cachaça. Sou cachaceiro assumido! Tenho meus rótulos preferidos em casa. E não estou falando de 51 ou Velho Barreiro. Existe todo um universo de paladares, texturas e lendas ao redor desta bebida genuinamente brasileira. Quem já experimentou uma Anísio Santiago, uma Providência, uma Lua Cheia ou uma Mariana (a minha preferida), sabe do que estou falando. O documentário "Marvada Pinga" faz um rápido apanhado disso tudo de forma bem interessante.

Ao longo do filme, somos apresentados à cronologia da pinga, descobrindo suas origens. Logo depois, conhecemos as cidades produtoras de maior destaque e, finalmente, chega-se a um tema delicado, polêmico: artesanal x industrial. Os diretores escutam os dois lados, mas é impossível não se manter a favor dos alambiques familiares quando testemunha-se um funcionário de uma indústria cachaceira jogando um produto em seus gigantescos tonéis para estimular a fermentação.

O videografismo, bem como as imagens de arquivos, são muito bem feitos e divertidos, combinando com o espírito bem-humorado que cerca o ritual de se beber uma boa cachaça. O resultado é um filme leve, saboroso e que desce fácil.

E deixo aqui o grito de guerra de uma confraria de apreciadores da bebida:

"Unidos beberemos! Sozinhos também!"

4 comentários:

Lopes disse...

Os alambiques familiares fabricam verdadeiras poesias liquidas!
São cachaças honestas, que dialogam com quem as bebe!

São artistas da cachaça... fabricam cachaças de custo beneficio do dia a dia... 40, 50 dolares a garrafa.

Pierkasky disse...

Legal ver o Lopes, o homem do vinho, tecendo comentários à cerca dessa bebida tão popular!

Wiliam Domingos disse...

Proposta interessante....original e envolvente pelo visto!
rsrsrsrs
De cachaça não entendo nada cara...mas é uma boa dica! (em todos os sentidos)!
Gostei da última frase do post...
ushuashsuh
abraço!

Jo disse...

bebum!!
eu tb adorava! =P