sexta-feira, outubro 05, 2007

#67 - Metal - Uma jornada pelo mundo do Heavy Metal (Metal: A headbanger's journey), de Sam Dunn


Quando vi o programa de estréias cinematográficas da semana no jornal, não pude deixar de reparar nesse título aí de cima, muito parecido com o da minha monografia de final de curso, escrita há uns bons anos: "Heavy Metal - Estética e alegorias de um universo musical". Apesar do tema ser o mesmo, esse documentário vai às profundezas das questões antropológicas para responder qual é o motivo do fascínio e da repulsa, do amor e do ódio, enfim, da aura mágica que cerca a corrente musical do diabo.

Ninguém melhor para dirigir o filme do que um fã do gênero. E melhor ainda, antropólogo. Sam Dun passa por todos os subgêneros que o metal criou e entrevista grandes astros da música, conversa com jovens loucos e rebeldes e vai até os confins do planeta em busca de informações. O resultado é um excelente filme, com bastante material de pesquisa, trilha sonora a rigor e passagens sensacionais. Por exemplo, podemos acompanhar a batalha de Dee Snider, vocalista da outrora controversa banda Twisted Sister, defendendo suas músicas da censura no senado americano. Ou então, testemunhar as entrevistas nada convencionais com as insólitas e bizarras bandas satanistas da Noruega que organizavam ataques às igrejas católicas.

Foi como ver um pouco da minha monografia na tela grande, guardadas as devidas proporções, claro. Afinal, o cara é antropólogo. Eu era apenas um estudante universitário. Dunn teve um senhor trabalho para fazer o documentário. Eu, não. Fiz meu texto em uma semana, porque deixei tudo para a última hora, e ainda tive que convencer minha orientadora, uma senhora para lá de seus 60 anos, que heavy metal era um assunto interessante. No fim das contas deu tudo certo.

"Metal" é bom para os ouvidos e bom para os olhos. E vou terminar parafraseando Paul Stanley & cia:

God gave rock and roll to you, gave rock and roll to you
Gave rock and roll to everyone
God gave rock and roll to you, gave rock and roll to you
Put it in the soul of everyone

6 comentários:

Maria Fernanda Stinghen Gottardi disse...

Olá! Muito legal seu blog.

Fiquei muito interessada em sua monografia. Ela está disponível na internet? Eu gostaria muito de ler. Também quero fazer uma monografia sobre rock e heavy metal no meu TCC de jornalismo. Abraço!

Vulgo Dudu disse...

Maria Fernanda, obrigado pelo comentário. Infelizmente não tenho cópia online, só em papel! E acredite, o arquivo está em um disquete e eu não tenho mais drive para ler! rs... Vou procurar alguém que tenha e tentar passá-lo pro cpu, para lhe mandar!

Ficarei feliz em lhe ajudar, até mesmo com bibliografia, se você quiser.

Metaaaaaaaaaaaal!

Maria Fernanda Stinghen Gottardi disse...

Valeu! Agradeço muito! Já tenho algumas referências para bibliografia, mas quanto mais melhor heheheheh Meu e-mail é mfsgottardi@yahoo.com.br

Obrigada e abraços!
Metaaaaaaaal!

T1460 disse...

Um amigo meu, não muito chegado em metal, escreveu sobre o gênero em seu TCC, no curso de Jornalismo. Nessas horas, eu penso que deveria ter dado um jeito de escrever sobre metal no meu TCC de Ciência da Computação. Assim, conseguiria me formar mais rapidamente.

O problema do documentário é tratar como Heavy Metal bandas que não tem relação direta com o gênero, além de centralizar tudo em EUA e Reino Unido.

micos disse...

Pois é... É feio/respulsivo/inaceitável queimar templos cristãos e é correto aceitar que, num passado remoto, eles queimavam e matavam todos aqueles que não compartilhavam de suas doutrinas e dogmas?!?
Grande sociedade esta na qual vivemos!!!

“Ama o próximo como a ti mesmo!”
NÃO ME FAÇA RIR!!!!





att,
Rafael Alexandrino Malafaia,
Também Quilômetros-a-Pé,
Theurge Andarilho do Asfalto Fostern

micos disse...

p.s.: este documentário é über-fodástico!