quarta-feira, agosto 01, 2007

#43 - Saneamento básico - o filme, de Jorge Furtado


Um filme de Jorge Furtado é digno de nota. Na minha opinião, dos melhores cineastas que este país tem o privilégio de ainda abrigar. Desde "Ilha das Flores", passando por "Houve uma vez dois verões" e "Meu tio matou um cara", Furtado mantinha-se na ascendente.

Conjuguei o verbo no passado porque, desta vez, ele errou na mão. Não que o filme seja ruim, de jeito nenhum. Porém, não é lá grandes coisas quando lembramos que trata-se do mesmo diretor de "O homem que copiava" e "O dia em que Dorival encarou a guarda".

O elenco, dizem, é sensacional. Não concordo, mas vá lá. Os diálogos, dizem, são bem bolados. Já vi melhores, mas tudo bem. O roteiro é bem costurado. Sim, mas é previsível. Tecnicamente, é tudo perfeito - como não poderia deixar de ser. Então qual é o problema? Falta ritmo. E, justamente, aquele ritmo que fez dos filmes anteriores de Jorge Furtado peças únicas. "Saneamento básico" tem cara de entretenimento global.

Pode pagar o bilhete, que o divertimento está garantido. Só não espere o troco.

Nenhum comentário: