sábado, junho 30, 2007

#35 - Uma escola de arte muito louca (Art School Confidential), de Terry Zwigoff


Eu gostaria realmente, como já foi manifestado em resenhas anteriores, pegar o desgraçado que faz estas traduções de títulos e examinar o que se passa dentro de seus miolos. Por favor, francamente, porra, assim não dá. Olha só, aí em cima, como este filme foi batizado. Em sã consciência, nas condições normais de temperatura e pressão, ninguém vai ter interesse em assisti-lo.

Pelo nome, parece mais uma daquelas comédias adolescentes sobre alunos doidões atrás de felação. Pois não é nada disso. Apesar de estar inserida no gênero comédia, esta realização de Terry Zwigoff vai muito além. O diretor é conhecido por dissecar impiedosamente o universo jovem, como foi feito no anterior e maravilhoso "Ghost World", que foi traduzido como... "Ghost World" mesmo. Aqui, há pitadas de bizarrices, um clima soturno e até um suspense que corre em paralelo à história de um rapaz que entra para a faculdade de Artes Plásticas, em busca de seu sonho de infância em ser um grande artista. Chegando lá, ele vê que a noção de arte é muito, mas muito subjetiva...

O ótimo Max Minghella interpreta o sonhador Jerome, e realiza um trabalho incrível de mudança no comportamento da personagem. Junto a ele, nomes tarimbados como John Malkovich e Angelica Houston.

O que eu pude concluir, ao final do filme, é que não tenho mais paciência para os blockbusters. Não gostei do vencedor do Oscar, nem do ogro e parei de assistir a vários similares ainda nos primeiros minutos ("16 Quadras" foi um deles). Um amigo meu acusou-me de ser ranziza, de não gostar de nada que vejo. Resposta: é porque cansei de fórmulas prontas, câmeras lentas, closes, perseguições, músicas emocionantes etc. Não tenho mais saco para isso. Eu gosto mesmo é de filme independente, assim, que não tem como rotular. É quando a idéia, inclusive, chega a ser melhor que os recursos para contá-la; mas não aquém da realização.

Sacou?

2 comentários:

Lili disse...

Tuuuudo bem! Agora fiquei com vontade de assistir, pq tenho que concordar quea tradução do filme teve esse efeito aí que vc descreveu tão bem, em mim.
bjosss

jovem disse...

concordo! oc "blockbusters" estão cada vez mais desanimadores!
mas das comédias românticas não canso nunca.... :P