segunda-feira, janeiro 15, 2007

#7 - Os embalos de sábado à noite (Saturday night fever), de John Badham


No ano em que eu nascia, lá estavam as costeletas, cabelos engomados, calças boca-de-sino, camisas estampadas de seda,pista de dança iluminada e Bee Gees. Muito Bee Gees. Ainda bem que eu era minúsculo nesta época.

E ainda bem que este clássico ocupa as prateleiras das dvdtecas dos meus melhores amigos. Assim, é possível revê-lo sempre que der vontade. Como neste fim de semana. O vizinho de uma grande amiga estava dando uma festa. Horas tantas, todos alcoolizados, começa o festival de anos 70: de "YMCA", do Village People, a "I will survive", de Gloria Gaynor, passando pelo clássico "Staying alive".

Coreografias de lado, vamos ao que interessa... O filme.

É indiscutível que algumas cenas ficaram imortalizadas na história do cinema. Sendo assim, é possível reconhecer diversos outros filmes que beberam na fonte dos passos e coreografias de Tony Manero.

O argumento é bem fraquinho: aquela coisa de sempre sobre segregação nos bairros mais pobres de Nova York, as gangs, a intolerância entre latinos e italianos, a rebeldia juvenil. Tem os pais implicando com o rapaz de cabelo engomado, o garoto que cai da ponte, briga de rua... A diferença está nos números musicias, com o famoso passo no qual o dedo indicador sobe e desce, sobe e desce, sobre e desce (confesse, em casamentos e festas anos 80, quando toca Bee Gees, você também faz esse passo...).

Manero virou até gíria aqui no Rio. E não sou eu quem inventou isso, não. Consta nos arquivos do IMDB.

3 comentários:

Jo disse...

o visual é sensacional,sou doida para ter o terno branco!! adoro essa época, adoro BeeGees, adoro dançar, pena que eu era minúscula nessa época!!

Hélcio Macedo disse...

Posta um link pra baixar o filme!!

Anônimo disse...

Cara, falando assim dá a impressão que você não está nem aí para a importancia que o filme tem para o cinema, nem dá valor a uma geração inteira que viveu essa época. Achei de péssimo gosto sua critica.